Post Page Advertisement [Top]

Portal Educação







ERA GEOLÓGICA




CROSTA TERRESTRE

PLACAS TECTÔPNICAS




AGENTES INTERNOS

TECTONISMO

VULCANISMOestudar os fenômenos relacionados com a formação estrutural do planeta terra em todos os seus aspectos estruturais e biológicos. Bem como, os fenômenos endógenos e exógenos que atuam de uma forma geral na construção de todo o relevo terrestre. Dada a relação da geomorfologia com todas as dinâmicas de transformação da superfície e do subsolo te estuda suas aplica reste, acaba por relacioná-la com estudos diversos de varias ciências ligados aos mesmos objetos e, e que em especial destaca-se a Geografia e Geologia.
As chamadas eras geológicas representam cada uma das grandes subdivisões de tempo no planeta. Note que o tempo geológico é diferente do tempo histórico, uma vez que no primeiro, é sempre medido em milhões e bilhões, enquanto o segundo, com escalas de tempo bem menores, que constam desde a formação do homem (pré-histórico) até a descoberta da escrita em diante (histórico). A Terra possui cerca de 4,5 bilhões de anos, o mesmo que o sistema solar. Só para se ter ideia de como os humanos são recentes na Terra, se todas as eras geológicas fossem resumidas em um dia, apenas os últimos três segundos seriam correspondentes ao tempo de surgimento do homem.
Sabe-se que a Terra, uma esfera ligeiramente achatada, não é homogênea. O furo de sondagem mais profundo que já se fez na crosta terrestre atingiu 12 km de profundidade, um valor insignificante para um planeta que tem mais de 6.000 km de raio. Mas, dispomos de informações obtidas por medições indiretas, através do estudo de ondas sísmicas, medidas na superfície. Elas mostram que nosso planeta é formado por três camadas de composição e propriedades diferentes, a crosta, o manto e o núcleo. Essas camadas, por sua vez, possuem algumas variações e são, por isso, subdivididas em outras
A crosta terrestre crosta é porção externa da Terra, a mais delgada de suas camadas e a que conhecemos melhor. Ela é tão fina em relação ao restante do planeta que pode ser comparada à casca de uma maçã em relação à maçã inteira.
Embora seja composta de material rochoso, portanto sólido e aparentemente de grande resistência, é, na verdade, muito frágil.
Sua espessura é variável, sendo maior onde há grandes montanhas e menor nas fossas oceânicas. Sob os oceanos, a crosta costuma ter cerca de 7 km de espessura; sob os continentes, ela chega a 40 km em média. As espessuras extremas estão em 5 e 70 quilômetros
É a teoria de tectônica global (deformações estruturais geológicas) que se tornou paradigma na geologia moderna, para a compreensão da estrutura, história e dinâmica da crosta terrestre.
A teoria baseia-se na observação de que esta camada sólida está dividida em aproximadamente 20 placas semirrígidas. As fronteiras entre estas placas são zonas com atividade tectônica, onde ocorrem mais sismos e erupções vulcânicas.
É a teoria de tectônica global (deformações estruturais geológicas) que se tornou paradigma na geologia moderna, para a compreensão da estrutura, história e dinâmica da crosta terrestre.
A teoria baseia-se na observação de que esta camada sólida está dividida em aproximadamente 20 placas semirrígidas. As fronteiras entre estas placas são zonas com atividade tectônica, onde ocorrem mais sismos e erupções vulcânicas É a teoria de tectônica global (deformações estruturais geológicas) que se tornou paradigma na geologia moderna, para a compreensão da estrutura, história e dinâmica da crosta terrestre.
É a teoria de tectônica global (deformações estruturais geológicas) que se tornou paradigma na geologia moderna, para a compreensão da estrutura, história e dinâmica da crosta terrestre.
A teoria baseia-se na observação de que esta camada sólida está dividida em aproximadamente 20 placas semirrígidas. As fronteiras entre estas placas são zonas com atividade tectônica, onde ocorrem mais sismos e erupções vulcânicas
tectonismo é o mais lento e duradouro dos agentes internos e o que promove as maiores alterações na paisagem. Ele se manifesta por meio de pressões, provenientes do interior da Terra, que afetam a superfície terrestre tanto no sentido vertical quanto no sentido horizontal, de acordo com a natureza das rochas e a direção dessas pressões
Os abalos sísmicos são estremecimentos sofridos por algumas áreas da superfície terrestre, em função de deslocamentos de camadas inferiores, e que se propagam por meio de vibrações. Quando ocorrem nos continentes, os abalos sísmicos recebem o nome de terremotos; já nos mares e oceanos, denominam-se maremotos.
Os terremotos manifestam-se como tremores da crosta e variam de intensidade. Geralmente, são muito rápidos e com resultados catastróficos, principalmente em áreas habitadas. Os terremotos mais violentos chegam a abrir enormes fendas no solo, fazendo desaparecer casas e pessoas. Estão relacionados a causas vulcânicas e tectônicas e aos desmoronamentos internos.
Os agentes externos (exógenos), ou modificadores do relevo, caracterizam-se pela ação lenta e constante sobre a superfície terrestre, o que resulta em uma tendência a uniformizar o relevo. Uma curiosidade sobre os agentes modificadores é que nunca atuam independentemente uns dos outros. Estão relacionados uns aos outros e a ação de cada um representa sempre um trabalho em conjunto.
- erosão: altera completamente a paisagem, por meio do seu trabalho de desgaste e destruição das rochas; - transporte: permite que os detritos e as partículas desagregadas pela erosão sejam levadas sempre em direção a lugares mais baixos; - deposição: é a consequência direta da erosão, uma vez que os detritos, que decorrem do trabalho desta, acumulam-se no sopé das montanhas, no fundo dos vales, nas margens dos rios, nas depressões, etc. A contínua acumulação de sedimentos se processa em camadas superpostas, promovendo o aterro de lodaçais, lagos, mares costeiros ou fundos de vale, com o passar do tempo.

SEGUE O LINK PARA ABAIXAR OS SLIDE GEOGRAFIA FÍSICA👇👇👇👇👇👇

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário!

Bottom Ad [Post Page]